Nada a perder ou a fotografia de Rotimi Fani-Kayodé (parte 1)

“Homens negros do Terceiro Mundo ainda não revelaram, nem para seu próprio povo, nem para o Ocidente um fato chocante: eles podem desejar um ao outro.” Rotimi Fani-Kayodé. Faz um tempo que eu queria escrever um post sobre o Rotimi Fani-Kayodé, um dos meus fotógrafos prediletos. E num momento em que ser gay tornou-se crime na Nigéria, acho que lembrar de Kayodé vem muito a calhar. Ele nasceu em 1955, em Lagos, de uma família bastante poderosa. Basta lembrar que seu pai, o advogado Victor Fani-Kayode “Fany Power”, uma importante liderança Yorubá,… Ler mais

Um ano sem Zózimo Bulbul

Em 24 de janeiro de 2013, faleceu Zózimo Bulbul, o grande símbolo do Cinema Negro no Brasil. O FICINE tem em Bulbul uma fonte de inspiração. Por este motivo, criamos aqui em nossa página um espaço permanente dedicado à obra de Bulbul. Não só como homenagem ao mestre, mas também como forma de contribuir para o fim da invisibilidade que infelizmente marca os feitos dos negros e negras na história do Brasil, sobretudo quando falamos de cinema. Leia  a seguir  “Zózimo Bulbul e o Cinema Negro“,  texto que você encontra na sessão permanente de nosso… Ler mais

Cinema Negro e Pesquisa Acadêmica

Quando pensamos em criar o Ficine, uma de nossas preocupações era realizar um levantamento acerca da produção cinematográfica e acadêmica sobre o cinema negro e o negro no cinema brasileiro, pois não havia esse levantamento sistematizado em nenhum local. Percebemos, logo de cara, que desde 2000 vem crescendo o número de pesquisadores – sobretudo no que se refere ao cinema africano – a biografia de atores negros, a realização de mostras e festivais e o número de cineastas negros, embora esse montante ainda seja muito inferior ao desejado. Este aumento decorre, sobretudo,… Ler mais

Por um cinema africano no feminino (I): as Jornadas Cinematográficas da Mulher Africana (JCFA)

Este post faz parte de uma série de publicações do FICINE que tem a participação das mulheres nas cinematografias africanas como foco. Começamos por apresentar as JCFA: Journées Cinématographiques de la Femme Africaine de l’Image, que acontecem a cada dois anos em Burkina Faso. —— Em 1991, durante a 12a edição do FESPACO (Festival Panafricano de Cinema e Televisão de Ouagadougou), as profissionais da indústria cinematográfica participaram de um workshop organizado pela FEPACI (Federação Panafricana de Cineastas) para discutir a participação da mulher africana no campo do audiovisual no continente. Como resultado dos debates realizados,… Ler mais

Quênia, São Silvestre, Cinema e muito mais!

Adoro atletismo e sempre fico torcendo pelos corredores quenianos na São Silvestre. Fico lembrando que já tentei a vida no salto em altura e ganhei uma medalha no salto em distância e nos 400m, quando estava na equipe do Omar Sabbag, meu colégio em Curitiba. Todo ano depois da São Silvestre prometo que vou correr a próxima, que vou voltar ao esporte e tal, o que de fato nunca acontece!!! Começo a pesquisar sobre os melhores tênis e as técnicas dos quenianos e tal e a coisa toda fica por aí. Este ano… Ler mais