Fórum Itinerante de Cinema Negro

Artigos

Forro ou Fugido

19.12.2013 | Larissa Fulana de Tal | Artigos, Curtas

Brinquedo de nego forro fugido é abrir roda para mostrar que tudo é caça e caçador”. A frase define muito bem a complexidade da formação e posição social do negro brasileiro, evidenciado na manifestação cultural Nego Fugido, do distrito de Santo Amaro, região do recôncavo baiano. Essa manifestação é inscrita na imagem fílmica do curta-metragem baiano Nego Fugido (2009), de Cláudio Marques e Marília Hughes.

O curta-metragem põe em questão duas posições: a do objeto filmado e a do sujeito que filma. Inicialmente, o casal entra no campo da imagem, a mulher...  leia mais>>

deixe os seus comentários

Um Continente nas Ruas Estreitas

16.12.2013 | Osmundo Pinho | Artigos, Resenhas

DIAWARA, Manthia. African Film. New Forms of Aesthetics and Politics. Prest Verlag. Munich – Berlin – London – New York, Haus der Kulteren der Welt. 2010. 319.p.

 

Era um outro país, cujos gestos excitantes Eu conhecia mas não conseguia relacionar com minha mente, Como a amnésia de minha mãe; respostas intraduzíveis

Acompanhavam estes espíritos reais Que tinham me esquecido assim como eu, também, Esquecera um continente nas ruas estreitas”.

Derek Walcott, Omeros, 1990 (tradução Paulo Vizioli).

Escrito como um fascinante, pessoal e reflexivo diário de viagem, o volume de muitas entradas e formato...  leia mais>>

deixe os seus comentários

ENTREVISTA: MANTHIA DIAWARA E O CINEMA AFRICANO

13.12.2013 | Janaína Damaceno | Artigos, Entrevistas

Em dezembro de 2012, Manthia Diawara esteve pela primeira vez no Brasil para participar do VI Encontro de Cinema Negro: Brasil, África e Caribe realizado no Rio de Janeiro. Nascido em Bamako, capital do Mali, Diawara é cineasta, crítico cultural e professor de Literatura Comparada na New York University (NYU), onde dirige o Institute of Afro-American Affairs (IAAA). Reconhecido como o maior especialista em cinema africano no mundo, ele tem uma profusa e densa produção literária e cinematográfica na área, tendo escrito mais artigos sobre o assunto que todos os pesquisadores em cinema africano no Brasil juntos. Manthia...  leia mais>>

deixe os seus comentários

O CINEMA DE MOUSTAPHA ALASSANE

10.12.2013 | Cristina Ferreira | Animação, Artigos

Moustapha Alassane nasceu em N'Dougou no Niger no ano de 1942. Sua carreira como cineasta começou em 1962, quando produziu quatro curtas-metragens. Seus primeiros filmes de animação foram “Le Piroguier” e “La Pileuse de mil”, com duração dois minutos cada. Porém, foram as animações “A Morte de Gandji”(1965) e Bon Voyage, Sim , realizadas em 1965 e 1966, que o tornaram conhecido como o pioneiro do cinema de animação no continente africano. O desenho animado “Boa Viagem Sim” é uma leitura da vida política...  leia mais>>

deixe os seus comentários

Destaques

Espaço homenagem

Ficine Educação

Ficine Docs