Fórum Itinerante de Cinema Negro

Artigos

Luz, raiva, ação! Kbela

04.12.2017 | Bernardo Oliveira  |

Ponto de partida: Zózimo Bubul e seu brilhante "Alma no olho" (misteriosamente esquecido nos cursos e circuitos universitários de cinema) realizado com as sobras de película da produção de "Compasso de Espera", filme protagonizado por Bubul e dirigido por Antunes Filho. Ali o corpo é a superfície viva sobre o qual deslinda-se uma trajetória, sobre o qual incidem olhares e valores, chibata e desejo sexual — nota mental: re-assistir "Get Out", reler "Anjo Negro" e Fanon.

 

Ponto de partida: ser negra, a experiência. O cabelo. Os produtos. As sessões de tortura. Os fantasmas. As piadas. O prejuízo psicológico. Fanon e Bubul, mas também Coltrane e Carolina Maria de Jesus. O corpo, o jongo e o jogo. Como se joga o jogo? O ressentimento é noviço, nocivo, se volta para dentro, causando impotência, açoitando a imaginação. Mas a raiva... a raiva é cristalina, reluzente, criativa. "Kbela" exala uma raiva especial, calma, forte e afirmativa. O SIM transfigurado, o corpo, o corpo... Exterioriza-se sob a forma de uma AÇÃO.

 

Luz, raiva, ação!

 
  

Bernardo Oliveira 

Professor adjunto da Faculdade de Educação da UFRJ, pesquisador, crítico de música e cinema, produtor. Atua também nos seguintes temas: antropologia, cultura brasileira, cinema brasileiro, história da música e estudos do som. Como crítico de música e ensaista, colaborou com diversos jornais, blogs, revistas e festivais no Brasil e no exterior. É produtor do selo musical QTV e do Quintavant, evento de música de vanguarda que há sete anos ocorre semanalmente na Audio Rebel (Botafogo-RJ). Co-produziu os filmes "Noite" e "Sutis Interferências", de Paula Maria Gáitan. Publicou em dezembro de 2014 o livro "Tom Zé - Estudando o Samba" (Editora Cobogó).